Desenvolvimento da linguagem: dos 0 aos 6 anos


Desenvolvimento do bebê: a linguagem entre os 0 e os 6 anos

A linguagem é uma habilidade fundamental para compreender e descrever o mundo, no entanto o seu uso pleno requer vários anos de aprendizagem, durante os quais o seu bebê aprenderá a dominar a fala, os rudimentos da língua e compreender as nuances do discurso, até atingir o domínio pleno da linguagem.

Embora a fala seja um ponto central da linguagem, esta não resume unicamente a isso, abarcando também toda a parte não verbal, incluindo a escrita e a expressão plástica, bem como a capacidade de compreender e fazer-se entender pelos outros, que se desenvolve a par do resto da linguagem.

Desde o choro inicial até ao domínio da linguagem, o seu bebê irá passar por várias etapas de aprendizagem que lhe permitirão comunicar de uma forma cada vez mais eficaz, fornecendo-lhe uma ferramenta fundamental para interagir com o mundo e realizar novas aprendizagens ao longo da vida.

Confira em seguida as várias etapas da aprendizagem da linguagem nos primeiros seis anos de vida.

 0-3 meses – Choro e linguagem corporal

O bebê comunica essencialmente através do choro e da linguagem corporal, podendo ser distinguidos vários tipos de choro e movimentos que correspondem a necessidades básicas.

Para quem não está habituado, o choro do bebê pode parecer todo igual, mas segundo alguns especialistas existem diferenças importantes entre os diversos tipos de choro, sendo esta, em conjunto com a linguagem corporal, a forma mais primordial de comunicação de que dispomos.

Por isso, a observação do comportamento do seu bebê poderá dar-lhe algumas dicas sobre a razão do choro. Por exemplo, o choro por fome tende a ser persistente e não muito alto e é muitas vezes antecedido pelo comportamento de colocar a mão na boca ou tentar abocanhar objetos, enquanto que o choro causado por estresse ou dor é muito mais alto e acompanhado de rubor na face e flexão dos braços e pernas junto ao corpo.

3-6 meses – O bebê descobre os diferentes sons

A partir dos três meses, o bebê começa a utilizar a boca de uma forma mais eficaz e por volta dos 4 meses será capaz de reproduzir o som de uma boa parte das consoantes e combiná-las com o som das vogais resultando em monossílabos que repete constantemente.

Por volta dos 4 meses e meio o bebê será também capaz de distinguir o próprio nome como uma palavra importante, mas ainda terá de esperar até aos 6 meses para perceber que se refere a ele próprio.

O balbucio constante é o resultado do domínio progressivo dos movimentos da boca e controle da vocalização, não tendo a ver propriamente com uma aprendizagem da língua materna, isso virá mais tarde. Nessa fase, o bebê simplesmente se diverte com a descoberta de novos sons e tende a repetir os que mais gosta, combinando balbucios e sons guturais num misto de brincadeira e comunicação.

Entre os monossílabos usados pelo bebê estão sons como “cá”, “dá”, ou “ná”, e é comum ouvir um bebê emitir sons como “da-dá”, “ba-bá” ou mesmo os tão esperados “ma-ma” e “pa-pa”.

No entanto, a associação dos balbucios a objetos ou pessoas apenas se começa a estabelecer a partir dos 6 meses, pelo que o som “mama” ou “papa” não significa necessariamente que o bebê consiga associar esse balbucio a você.

6-12 meses – O bebê imita a entoação das palavras

Entre os 6 e os 12 meses o bebê continua a exploração dos sons, repetindo uma e outra vez os novos sons que vai aprendendo.

No entanto, agora começa também a imitar entoação dos adultos e os seus balbucios assemelham-se cada vez mais a palavras, embora o seu significado e intenção apenas possa ser percebido por quem convive de perto com eles.

Bebê aprendendo a falar
Foto: Dollar Photo Club

Aos 12 meses – As primeiras palavras

Com um ano de idade, o bebê reconhece o próprio nome e consegue dizer cerca de quatro ou cinco palavras, incluindo “mama” e “papa”, que agora surgem associadas aos pais.

A partir daqui o bebê continuará imitar as palavras que lhe são mais familiares, adquirindo novo vocabulário e começando a associar as palavras a objetos. É também a partir desta idade que o bebê começa a ser capaz de seguir instruções verbais simples.

1-2 anos – As primeiras frases

Entre os 12 e os 18 meses, o vocabulário do bebê aumenta até cerca de 50 palavras, atingindo as 200 palavras por volta dos 24 meses.

A compreensão das palavras aumenta e o bebê já consegue combinar duas palavras para formar frases rudimentares. Nessa fase também já é capaz de compreender claramente o significado da palavra “não” e adora repeti-la.

A imitação continua a ser o seu passatempo favorito e ele é capaz de imitar os sons produzidos por animais conhecidos, conseguindo também identificar figuras em livros desde que os pais as refiram pelo nome.

2-3 anos – Nomear objetos e pessoas

Por volta dos 3 anos de idade a criança possui um vocabulário que varia entre as 300 e as 450 palavras e utiliza frases curtas, com 3 a 4 palavras, combinando nomes e verbos, para conversar com outras crianças e adultos.

Consegue referir objetos, animais e pessoas conhecidas, pelo nome assim como partes do corpo.

Gosta que lhe contem histórias e adora ouvir a história preferida repetida à exaustão.

3-4 anos – O vocabulário atinge 1000 palavras

O vocabulário aumenta até às 1000 palavras e a criança é capaz de formular frases um pouco mais complexas, usando entre 4 e 5 palavras, o que torna o seu discurso mais fácil de compreender por pessoas exteriores à família próxima.

A capacidade de compreensão aumenta e a criança é capaz de entender ordens e explicações mais complexas.

4-5 anos – Domínio dos tempos verbais

O vocabulário aumenta para as 1500 palavras e a criança já consegue formular frases referindo-se ao passado.

Nessa fase é também capaz de definir certas palavras, categorizar objetos e explicar como se realizam tarefas simples.

5-6 anos – A linguagem em expansão

Nesta idade a linguagem já está bastante desenvolvida e a criança continua a expandir o vocabulário de acordo com os seus interesses pessoais. É também nesta altura que normalmente começa a aprendizagem da escrita e leitura, que irão facilitar ainda mais a aquisição de novo vocabulário.

A capacidade de compreender explicações unicamente verbais aumenta e por volta dos seis anos, a criança já é capaz de pronunciar todos os sons da língua materna corretamente. É também capaz de tomar a iniciativa nas conversas e consegue esperar pela sua vez para intervir.

Mas o desenvolvimento da linguagem não termina aqui. Ao longo dos próximos anos esta irá refinar-se cada vez mais, num processo constante de aquisição de nova informação e conhecimento que irá continuar ao longo da vida.

Mais informação acerca do desenvolvimento da linguagem

Leia também o nosso artigo sobre as primeiras palavras do bebê e o processo de aquisição do vocabulário.

2 comentários em “Desenvolvimento da linguagem: dos 0 aos 6 anos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.