Menino ou menina: Como saber o sexo do bebê


Conheça as técnicas que permitem saber o sexo do bebê

A tendência natural para tentar controlar os eventos importantes da nossa vida, faz com que a informação sobre o sexo do bebê seja um dado muito importante para uma boa parte dos pais.Com essa informação será possível iniciar uma nova fase na preparação para o nascimento de um novo membro da família, que passa pela escolha do nome, compra de roupa e pela decoração do quarto do bebê.

Mas nem todos os pais valorizam essa informação da mesma forma, havendo aqueles que preferem não saber o sexo do bebê, apesar de os médicos lhes poderem fornecer essa informação.

A vontade de manter o mistério e deixar a revelação do sexo do bebê para o momento do parto pode ter várias explicações, desde a vontade de viver a gravidez como “antigamente”, em que a incerteza era o único dado adquirido, até ao simples desejo de serem surpreendidos no dia do nascimento do bebê.

Inclusive, há casos em que os pais, por razões religiosas ou pessoais, optam por não receber nenhuma informação adicional sobre o bebê, incluindo o risco de cromossomopatias e outros problemas congênitos, deixando a gravidez decorrer com o mínimo de intervenção médica.

Como (e quando) é possível saber o sexo do bebê?

Para os pais que optam por saber, isso é normalmente possível a partir do segundo trimestre, através do exame de ultra-som realizado entre as 16 e as 20 semanas de gestação.

Através da observação direta da imagem gerada pelo ultra-som, o técnico poderá conseguir determinar qual o sexo do bebê, desde que este esteja numa posição favorável para que os genitais possam ser observados.

No entanto, se o bebê não se encontrar na posição ideal, ou se o cordão umbilical dificultar a observação dos genitais, poderá não ser possível determinar com segurança o sexo do bebê. Nesse caso, a determinação do sexo terá de ser feita durante a ultra-sonografia seguinte, que é realizada durante o último trimestre da gravidez.

Por que apenas é possível saber o sexo do bebê a partir do 2.º trimestre?

Isso tem a ver com as limitações da ultra-sonografia, pois apesar dos aparelhos atuais fornecerem uma imagem bastante detalhada, esta não é suficiente para distinguir o sexo de um bebê com menos de 14 semanas de gestação, uma vez que imagem dos genitais gerada pelo ultra-som seria muito semelhante, quer se tratasse de uma menina ou de um menino.

Existem outras formas de saber o sexo do bebê?

Além da ultra-sonografia, também é possível saber o sexo do bebê através da realização de uma amniocentese ou de uma biópsia do vilo corial, mas apesar de serem muito precisos (cerca de 99% de margem de acerto), esses procedimentos apenas são aconselhados no caso de haver suspeita de cromossomopatias ou mal-formações congênitas, pois ambas as técnicas envolvem um pequeno risco de aborto.

Existe ainda a possibilidade de realizar um teste de ADN (sexagem fetal), que permite detectar fragmentos do cromossoma masculino na corrente sanguínea da mãe, determinando o sexo do bebê por exclusão. No entanto, apesar de também ter um alto grau de precisão (entre 94,8% e 98,8%), este teste raramente é realizado devido ao fato de ser demasiado caro para a maioria dos pais.

Mitos acerca do sexo do bebê

Mas apesar dos meios tecnológicos à disposição dos pais, ainda existem muitos pais que preferem confiar na sabedoria popular para tentar adivinhar o sexo do bebê.

No entanto, esses métodos nada têm de científico e podem levar a conclusões erradas e falsas expectativas, podendo originar sentimentos de frustração em relação ao bebê.

Por isso, evite confiar nesse tipo de testes mesmo que lhe pareçam plausíveis e que mais do que uma pessoa lhe diga “comigo funcionou”, pois a eficácia aparente destes “testes” deve-se unicamente ao fato de estarmos a lidar com um cenário em que as chances são 50/50.

É por isso que se alguém disser “o seu bebê vai ser uma menina”, terá à partida 50% de chances de acertar (pois só existem duas possibilidades). Da mesma forma, a mesma pessoa terá também 50% de chances de errar. É o mesmo que tentar adivinhar se vai sair “cara” ou “coroa” quando atiramos uma moeda ao ar.

Isso faz com que a margem de “acerto” desses métodos populares pareça grande, quando na realidade é apenas uma questão de sorte.

Desfazendo alguns mitos

  1. A forma da barriga – Não existe nenhuma relação entre a forma da barriga e o sexo do bebê. Uma barriga mais ou menos pontiaguda apenas tem a ver com a posição do bebê e com a forma como os músculos da mãe se distendem, não com o sexo do bebê.
  2. Desejo de doces ou comidas amargas – Existe o mito de que se uma mulher sentir o desejo de comer doces estará esperando um menino, mas se sentir o desejo de comidas amargas, estará esperando uma menina. Não existe relação entre os desejos alimentares e o sexo do bebê, podendo haver o desejo de comidas doces quando se espera uma menina ou vice-versa. Apesar dos desejos alimentares não terem uma origem clara, pensa-se que tem a ver com pequenos défices nutricionais.
  3. Tabelas e calendários – Algumas pessoas optam por recorrer a calendários chineses para determinar o sexo do bebê. No entanto, não existe nenhuma relação entre o mês de concepção, a idade da mãe e o sexo do bebê. A determinação do sexo depende apenas de fatores biológicos, não tem rigorosamente nada a ver com astrologia.
  4. Fios de cabelo e anéis sobre a barriga – O resultado de balançar a aliança sobre a barriga tem exatamente o mesmo efeito que atirar uma moeda ao ar. Será pura sorte se você acertar no sexo do bebê.
  5. Enjôo matinal – Existe a idéia de que uma mulher com forte enjôo matinal estará esperando uma menina. Embora alguns estudos apontem para uma relação entre os casos extremos de enjôo e o nascimento de bebês do sexo feminino, é perfeitamente possível ter enjôo muito forte e estar esperando um menino, pelo que esse método não é fiável.
  6. Ritmo cardíaco – Algumas pessoas pensam que se o ritmo cardíaco do bebê for superior a 140 bpm, se trata de uma menina. No entanto, não existe qualquer diferença entre sexos no que toca ao ritmo cardíaco durante a gestação. Apenas quando o nascimento está iminente é possível detectar diferenças no ritmo cardíaco (o coração de um bebê do sexo feminino bate mais rápido nessa altura), mas mesmo aí há uma grande margem para erro.

Em resumo

A forma mais segura para saber o sexo do bebê é realização de um exame de ultra-som a partir das 16 semanas de gestação, pois a partir desse momento é possível fazer uma observação direta dos genitais com uma alta margem de acerto.

Existem outras alternativas mais fiáveis, como a amniocentese ou a biópsia do vilo corial, mas têm a desvantagem de apresentar riscos para o bebê. Há também a possibilidade de realizar um teste de DNA, mas esse método é geralmente descartado pelos pais devido ao preço elevado do teste.

Por fim, existem os métodos populares, que se baseiam unicamente em tentativas de adivinhação. Pelo que, se você tem curiosidade em saber o sexo do seu bebê, o melhor mesmo é esperar pelos exames de ultra-som, pois esses métodos não têm qualquer fundamento científico e poderão induzi-la em erro quanto ao sexo do bebê.

 

17 comentários em “Menino ou menina: Como saber o sexo do bebê

  • 1 de março de 2016 em 14:07
    Permalink

    Estou com 5 meses já, e minha barriga ainda está muito imperceptível, muita gente fica surpresa quando digo que já estou com 5 meses, as pessoas ainda não percebem que estou grávida, vou ao banco sempre e até hoje nunca me deram a senha preferencial por exemplo. Quando minha barriga vai parecer de grávida?

    Resposta
    • 1 de março de 2016 em 14:46
      Permalink

      Olá Morgana,

      O tamanho da barriga varia muito de pessoa para pessoa, além disso é normal que a barriga seja menos evidente durante os dois primeiros trimestres. É difícil prever quando a sua barriga se tornará mais volumosa, mas se a sua gravidez estiver sendo seguido por um médico e tudo estiver com você e com o bebê, não há com que se preocupar.

      Resposta
      • 26 de setembro de 2016 em 17:24
        Permalink

        realmente isso varia muito de mulher para mulher… eu nem completei 2 meses e já esta super aparente minha barriga e eu conheci uma moça que nem quando ja estava com oito meses de gestaçao parecia gravida! Infelizmente não da pra determinar quem ou quando aparece mais…

        Resposta
        • 27 de setembro de 2016 em 16:35
          Permalink

          Obrigado pela sua contribuição, Bia.

          Resposta
          • 31 de janeiro de 2017 em 17:33
            Permalink

            Outro detalje é…a Preferência em bancos, Shoppings, etc… é para Gestante e não barriguda… se fosse assim qualquer mulher pançuda teria direito…concorda?

  • 21 de abril de 2016 em 01:28
    Permalink

    Estou com 4 meses e minha barriga parece que que esta menor do que qd tava com 3

    Resposta
    • 22 de abril de 2016 em 19:49
      Permalink

      Olá Ana,

      É normal que nos primeiros meses a barriga não seja muito evidente, e o fato de parecer menor pode ser explicável por flutuações no seu peso e pela evolução da forma da própria barriga. Mas nada como falar com o seu médico sobre o assunto e tirar assim todas as dúvidas.

      Resposta
    • 26 de setembro de 2016 em 17:26
      Permalink

      o que pode ter acontecido é que no início da gravidez é comum a formação de gases e um certo inchaço e agora que seu corpo ja passou do primeiro trimestre isso melhorou.

      Resposta
  • 1 de novembro de 2016 em 12:20
    Permalink

    Oi sou a janaina e estou ggravida pela a segunda vez a minha primeira gestação a minha barriga era enorme e já nessa a barriga e bem menor e estou entrando para os 7 meses

    Resposta
    • 2 de novembro de 2016 em 11:39
      Permalink

      Olá, Janaina

      O tamanho da barriga pode variar muito de gravidez para gravidez e não é indicativo do sexo do bebê, é possível que o seu bebê seja um pouco mais pequeno do que o anterior. Mas se o tamanho da barriga a preocupa, aconselhamos que fale com o seu médico a fim de esclarecer essa dúvida.

      Resposta
  • 2 de fevereiro de 2017 em 08:22
    Permalink

    Morgana, melhor assim
    Quanto maior a barriga mais estria e flacidez
    Meu sonho ficar como voce haha

    Resposta
  • 21 de julho de 2017 em 20:55
    Permalink

    Oi.estou com 6 meses de gestação é só agora comecei sentir enjoos mais fortes tipo azia..tudo q como me da com azia..antrs sentia mas eram poukinhos

    Resposta
    • 21 de julho de 2017 em 23:51
      Permalink

      Olá, Conceição

      É perfeitamente normal ter azia nessa fase da gestação, pois à medida que a gravidez avança o útero exerce cada vez mais pressão no estômago, o que vai aumentar a sensação de enfartamento e azia. Pode consultar mais informação e dicas sobre o tema em nosso artigo sobre azia na gravidez.
      De qualquer forma, deve mencionar os sintomas ao seu médico pois poderá ser necessário tomar um antiácido ou alterar um pouco a dieta.

      Resposta
  • 2 de setembro de 2017 em 21:33
    Permalink

    ola estou com 5 meses e nao teve como ver o sexo do bb e estou muito anciosa sera o que e

    Resposta
    • 4 de setembro de 2017 em 13:42
      Permalink

      Por vezes é difícil ver o sexo do bebê nos primeiros exames de ultrassom e é necessário esperar até ao ultrassom do terceiro trimestre para ver o sexo do bebê. Existem também exames de sangue que podem determinar o sexo do bebê com uma fiabilidade de 99%, mas são bastante caros e não são cobertos por planos de saúde.

      Resposta
  • 22 de dezembro de 2017 em 16:07
    Permalink

    Estou de 7 meses e não consegui ver o sexo do bebê

    Resposta
    • 22 de dezembro de 2017 em 16:24
      Permalink

      Olá, Laura

      Por vezes é difícil observar o sexo na imagem gerada pelo ultrassom, pois depende muito da posição em que o bebê se apresenta.
      Em alternativa existem os testes de sexagem fetal realizados em laboratório que apresentam um alto grau de fiabilidade (99%), mas o seu preço é elevado, situando-se entre R$300 e R$1000, dependendo do laboratório.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.