O que é a laringomalácia infantil?


Entenda o que é a laringomalácia  infantil

A laringomalácia é um problema congênito que afeta os tecidos da laringe e está na origem da maior parte dos casos de estridor (respiração ruidosa) no recém-nascido, estimando-se que seja a causa subjacente em 45% a 75% dos casos.

A respiração dos bebês com laringomalácia caracteriza-se por um som agudo ao inspirar, acompanhado muitas vezes por sons semelhantes aos de uma obstrução nasal, ainda que o bebê não tenha o nariz entupido.

Apesar do incômodo e apreensão que este problema possa causar, raramente é motivo para preocupação, pois na maior parte dos casos resolve-se espontaneamente à medida que o bebê cresce.

O que é a laringomalácia?

Laringomalácia significa literalmente “laringe mole” e caracteriza-se pela falta de maturidade das estruturas que constituem a laringe, associada à falta de tonicidade muscular, resultando no colapso da cartilagem superior da laringe durante a inspiração.

Este colapso temporário causa então a obstrução parcial da passagem do ar, provocando o som agudo característico do estridor. No entanto, apesar do som e aparente obstrução, a laringomalácia raramente causa problemas respiratórios graves.

Porém, em alguns casos, a laringomalácia pode ser acompanhada de uma sintomatologia mais severa, causando episódios de dispneia, apneia do sono ou mesmo dificuldades na alimentação, devido a engasgamento.

Quais são os principais sinais de laringomalácia?

Os principais sinais e sintomas de laringomalácia são:

  • Início nos primeiros 2 meses de vida.

  • O estridor ocorre na inspiração.

  • O estridor piora quando o bebê está deitado ou quando chora.

  • Não ocorre cianose (cor azul na pele, à volta dos lábios, devido a falta de oxigênio).

Em casos mais severos poderá ocorrer:

  • Dispneia (dificuldade em respirar).

  • Apneia do sono (obstrução temporária das vias aéreas).

  • Engasgamento durante a alimentação.

  • Refluxo gastro-esofágico induzido pela laringomalácia.

Como é feito o tratamento da laringomalácia?

Pode parecer estranho, mas na maior parte dos casos o único tratamento é o tempo, uma vez que os sintomas tendem a diminuir à medida que a criança cresce, desaparecendo completamente entre os 12 e os 24 meses de idade.

Por isso, se o pediatra não aconselhar um tratamento específico, a solução é relaxar e explicar à família e amigos que, apesar do aparato dos sintomas, não há nada de errado com o bebê.

Apenas em casos raros, em que a sintomatologia é mais severa, poderá ser necessária uma intervenção cirúrgica para corrigir a cartilagem da laringe de modo a fazer desaparecer os sintomas.

Quando consultar o pediatra?

Sempre que o bebê apresente estridor ao respirar deve ser avaliado por um médico, a fim de ser determinada a causa. Mesmo tratando-se de laringomalácia, convém lembrar que nem todos os casos dispensam tratamento, e que a avaliação médica é sempre necessária.

Além disso, deverá dirigir-se ao hospital se:

  • O bebê tiver episódios de apneia com duração superior a 10 segundos.

  • Ocorrer cianose (cor azul na pele à volta dos lábios).

Em resumo

A Laringomalácia é a causa mais comum de estridor

Se o seu bebê tem uma respiração ruidosa e aguda, a causa mais provável é a existência de laringomalácia não diagnosticada. Esta condição congênita que afeta os tecidos da laringe, é responsável pela maior parte dos casos de estridor no recém-nascido. Deve por isso consultar o seu médico se notar alterações na respiração do bebê.

A Laringomalácia é geralmente benigna e tende a resolver-se espontâneamente

Com excepção dos casos mais severos, não existe um tratamento específico para a laringomalácia, uma vez que os sintomas tendem a desaparecer espontaneamente com o crescimento do bebê.

11 comentários em “O que é a laringomalácia infantil?

  • 17 de agosto de 2017 em 22:06
    Permalink

    Olá Boa noite,
    Meu bebê está com os sintomas de laringomalacia, foram feitos exames cardiológicos, pulmonar e cerebral e todos sem nenhuma alteração, ou seja, tudo aponta para a “laringe mole”. Qual tipo de especialista devo procurar para diagbostica-lo?

    Resposta
    • 18 de agosto de 2017 em 00:09
      Permalink

      Olá, Daniel

      Aconselhamos que consulte um otorrinolaringologista pediátrico.

      Resposta
  • 22 de fevereiro de 2018 em 10:19
    Permalink

    Bom dia !! minha neta tem, ela tem um ano e oito meses, só que tinha passado os ruidos, e agora voçtou, e durante o dia noto em volta dos labios ficam azulado, como devo proceder, já foram descartado , coração, pulmão e o ceçebro, através de exames.

    Resposta
    • 22 de fevereiro de 2018 em 11:17
      Permalink

      Olá, Eunice

      O ruído característico da laringomalácia pode manter-se até aos dois anos, mas convém mencionar ao médio qualquer mudança nos sintomas.
      Os lábios azulados são sinal de fraca oxigenação, pelo que deve relatar esse fato ao pediatra.

      Resposta
  • 1 de junho de 2018 em 13:54
    Permalink

    Bom dia.
    Minha filha também foi diagnosticada que tem laringomalacia. Mais além dos ruídos, ela também faz um buraquinho no pescoço. E ela tem feito muito esforço pra mamar no peito ou chuquinha, e acharam melhor continuar pela sonda. Mais eu estou muito preocupada será que tem que fazer cirurgia ou algo do tipo. Ou só com o tempo mesmo?
    Ela está na UTI neonatal desde que nasceu, a um mês atrás.
    Desde ja obrigada.

    Resposta
    • 25 de junho de 2018 em 14:20
      Permalink

      Olá, Letícia

      Alguns casos de laringomalácia necessitam de cirurgia correctiva, enquanto outros se resolvem espontaneamente com o crescimento. No entanto, apenas o médico responsável pelo tratamento da sua filha poderá responder à sua dúvida.

      Resposta
  • 11 de junho de 2018 em 20:22
    Permalink

    Minha sobrinha tem 4 meses e teve recentemente uma crise respiratória grave.
    Depois de dias na UTI conseguiram fazer o exame necessário para confirmarem a suspeita de “traqueia mole”.
    Ela ainda está na UTI (a cerca de 25 dias já) e depois do exame teve uma melhora significativa…
    Ela tinha refluxo, chiava ao respirar, tinha dificuldade ao mamar (pausava varias vezes, dormia rapidamente…).
    As duvidas agora são, quais os cuidados que devemos ter com ela ao sair do hospital?

    Resposta
    • 25 de junho de 2018 em 14:15
      Permalink

      Olá, Graziele

      O caso da sua sobrinha é Traqueomalácia, um quadro um pouco diferente daquele que descrevemos no artigo, que afeta a laringe.
      Após a alta hospitalar, aconselhamos que siga as indicações dadas pelo médico.

      Resposta
  • 26 de junho de 2018 em 17:40
    Permalink

    boa tarde!! O medico do meu filho esta desconfiando q ele tenha laringomalacia. qual exame devo fazer para obter o diagnostico?

    Resposta
    • 28 de junho de 2018 em 10:11
      Permalink

      Olá, Gabrielle

      Normalmente é realizada uma laringoscopia, mas aconselhamos que consulte um otorrinolaringologista, pois só este poderá indicar o exame mais adequado e efetuar um diagnóstico correto.

      Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 14:52
    Permalink

    Minha filha foi diagnosticada com traqueomalacia com 10 dias de vida. A pediatra disse que podia ficar tranquila , pois é um problema que melhoraria com o tempo e que é uma doença benigna. Mas passei alguns sustos com minha pequena. Ela teve várias crises de falta de ar. Fiquei muito preocupada. Mas agora ela já está com 5 meses e não teve mais crises. Os ruídos estão praticamente sumindo.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.