O que é a síndrome HELLP?


Síndrome HELLP na gravidez

A síndrome HELLP é uma complicação obstétrica rara, normalmente relacionada com o agravamento da pré-eclampsia e que apenas é detectável em laboratório.

Esta síndrome é caracterizada por alterações no sangue e no funcionamento do fígado, que causam anemia, aumento das enzimas hepáticas e uma diminuição do número de plaquetas. São aliás estas alterações que dão origem ao nome da síndrome:

H – Anemia hemolítica ou Hemólise (Em Inglês: Hemolytic anemia)

EL – Enzimas hepáticas elevadas ( Elevated liver enzymes)

LP – Baixo número de plaquetas (Low Platelet count)

Quais são os sintomas da síndrome HELLP?

Esta síndrome não tem sintomas específicos, no entanto os sintomas típicos da pré-eclampsia ou um agravamento dos sintomas normais da gravidez podem indicar a síndrome HELLP. Por isso, tenha especial atenção a:

  • Dor de cabeça forte

  • Perturbações da visão

  • Vômitos

  • Mau-estar geral

  • Dor abdominal (abaixo das costelas)

Se tiver algum destes sintomas ou se sentir um agravamento dos sintomas habituais da gravidez deve contatar o seu médico.

Quais são as complicações possíveis?

Foto: Adobe Stock

Tal como a pré-eclampsia, a síndrome HELLP pode conduzir a falha renal, dificuldades respiratórias para a mãe e bebê, hemorragias e descolamento da placenta. No entanto, essas complicações são raras e tendem a acontecer apenas nos casos em que a síndrome não é devidamente monitorada.

Que tratamentos existem para a síndrome HELLP?

Não existe um tratamento específico para esta síndrome pelo que a indução do parto é a opção mais usual.

No entanto, se a doença for diagnosticada antes das 34 semanas, os médicos poderão optar por esperar um pouco, de forma a permitir a maturação dos pulmões do bebê. Nesses casos, a gestante fica internada para que o seu estado de saúde possa ser devidamente monitorado até que o bebê nasça. Alguns dos tratamentos possíveis durante esse período são:

  • Transfusões de sangue para compensar a anemia hemolítica e o baixo numero de plaquetas

  • Administração de corticoesteroides para ajudar à maturação dos pulmões do bebê

  • Medicação para controlar a pressão arterial

Após o parto, os sintomas desaparecem normalmente em menos de uma semana e os valores das análises de sangue e enzimas hepáticas voltam ao normal.

Quem corre risco de desenvolver a síndrome HELLP?

Correm maior risco as gestantes com pré-eclâmpsia ou que tenham tido uma gravidez anterior com síndrome HELLP. Além destes dois grupos, correm risco de desenvolver a síndrome HELLP as gestantes com:

Como posso prevenir a síndrome HELLP?

Como a causa desta síndrome não é inteiramente conhecida, não existem indicações específicas para a sua prevenção. Porém, se você adotar um estilo de vida saudável e fizer uma alimentação equilibrada, a chances de desenvolver patologias durante a gravidez diminuirão consideravelmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.