O que é Endometriose?


Saiba o que é a Endometriose

A Endometriose é uma doença ginecológica que afeta entre 5% a 15% das mulheres em idade reprodutiva(1) e causa o crescimento de células do endométrio fora do útero, fazendo com que estas invadam outros órgãos do corpo.

Normalmente, as células do endométrio revestem o interior do útero, de forma a permitir a implantação do embrião, mas quando surgem em outros locais são classificadas como Endometriose e podem causar diversos problemas incluindo, em alguns casos, infertilidade ou dificuldade em engravidar.

Veja em seguida como a endometriose afeta o corpo e a capacidade reprodutiva e como o problema pode ser contornado.

O que acontece quando as células do endométrio crescem no lugar errado?

Os problemas físicos ocorrem devido à própria natureza das células do endométrio, que crescem durante o ciclo menstrual deteriorando-se em seguida, caso não tenha havido fecundação. Isto acontece independentemente das células se situarem no interior do útero ou noutro local do corpo.

Enquanto no útero as células do endométrio são expulsas durante a menstruação, em outros locais elas irão permanecer entre os tecidos, causando inflamação e dor até que sejam reabsorvidas, uma vez que o corpo não tem forma de as expulsar no final do ciclo menstrual.

Em alguns casos, particularmente quando a endometriose surge junto aos ovários, a fertilidade pode também ser afetada, uma vez que o crescimento anormal de células do endométrio pode alterar as condições ideais para que a fecundação possa ocorrer.

Se tiver endometriose posso engravidar?

Ter endometriose não significa ser infértil, apesar de em alguns casos a endometriose poder resultar em infertilidade. Estima-se que cerca de 70% das mulheres afetadas por endometriose sejam férteis, podendo engravidar apesar das dificuldades impostas pela doença.

Embora os mecanismos envolvidos sejam pouco claros, é sabido que a endometriose pode causar grandes dificuldades em engravidar sendo necessário muitas vezes recorrer a tratamento cirúrgico (remoção de cistos) para conseguir engravidar.

Além da cirurgia, é frequente a utilização de técnicas de FIV  ou inseminação intrauterina, de forma a aumentar as chances de concepção em mulheres com endometriose.

Suspeita-se que a infertilidade possa ser causada por uma combinação de vários fatores, incluindo:

  • Distorções anatômicas e cicatrizes causadas pela endometriose
  • Libertação de enzimas prejudiciais aos gâmetas (óvulos e espermatozoides), pelos cistos resultantes da endometriose

Mas nem todos os casos de endometriose provocam infertilidade, sendo possível em muitos casos engravidar sem recorrer a tratamentos.

Porém a endometriose tende a agravar-se com a idade, aumentando a dificuldade em engravidar.

Quando surge a endometriose?

Apesar de haver a noção de que esta doença apenas atinge mulheres mais velhas, a endometriose pode na verdade surgir em qualquer altura da vida, tendo inclusive sido diagnosticada em adolescentes.

O fato de ser normalmente diagnosticada em mulheres na casa do 30 anos não significa que a doença surja nesse momento, podendo ter tido o seu início muito antes sem que tenha sido devidamente diagnosticada.

Quais são os sintomas da endometriose?

O sintoma mais comum da Endometriose é a dor provocada pela inflamação resultante dos crescimento anormal de tecido do endométrio.

No entanto, é possível que a endometriose passe despercebida, uma vez que algumas mulheres não apresentam quaisquer sintomas, sendo apenas descoberta pelos médicos quando estas se queixam de dificuldade em engravidar.

Entre os sintomas mais comuns da Endometriose estão:

  • Dificuldade em engravidar
  • Menstruação abundante ou dolorosa
  • Sangramento fora do período menstrual
  • Dor abdominal
  • Dor pélvica
  • Dor durante o coito

Outros sintomas reportados são:

  • Cansaço
  • Desconforto ao urinar ou defecar
  • Presença de sangue nas fezes ou urina

Os sintomas variam conforme a extensão da área afetada pela endometriose, sendo também diferentes conforme a conforme a parte do corpo que é afetada.

Como é diagnosticada a endometriose?

O diagnóstico da doença é feito normalmente na sequência de queixas relacionadas com dores abdominais ou dificuldade em engravidar, podendo ser utilizadas várias técnicas de diagnóstico, incluindo:

  • Exame pélvico (por apalpação) – Este tipo pode ser útil para detectar cistos causados por endometriose, mas dificilmente permite encontrar lesões mais pequenas.
  • Exame de ultrassom – Permite identificar cistos causados por endometriose e determinar com precisão a sua localização.

Em alguns casos, pode ainda ser recomendada a realização de uma laparoscopia, sob anestesia geral, para determinar a extensão da endometriose e, se necessário, realizar uma biópsia.

Onde surge a endometriose?

A endometriose pode surgir em vários lugares do corpo, embora seja raro o seu aparecimento fora da região abdominal.

As áreas afetadas por endometriose podem incluir:

  • O exterior do útero
  • Os músculos do útero
  • As tubas uterinas e ovários
  • Os intestinos
  • A bexiga
  • A vagina
  • O reto
  • A área entre o útero e o reto
  • O peritoneu (membrana que envolve as vísceras e cobre a cavidade abdominal)

Em casos raros, poderá também afetar:

  • Membros inferiores
  • Pele
  • Pulmões
  • Olhos
  • Cérebro

A endometriose é uma forma câncer?

Não, apesar de surgir em diversas partes do corpo, e ter algumas semelhanças com o desenvolvimento de um câncer, a endometriose não é uma doença cancerosa e raramente acarreta risco de vida, apesar de poder causar muito desconforto e obrigar a tratamentos prolongados.

No entanto, alguns estudos apontam para um aumento do risco de câncer do ovário em pacientes com endometriose, mas não é claro se esse risco é motivado pela endometriose em si ou pelos tratamentos hormonais normalmente utilizados para combatê-la.

Quais são os tratamentos disponíveis para a endometriose?

Os tratamentos dependem da localização e extensão da endometriose, podendo passar por terapia hormonal, administração de analgésicos ou, em casos mais graves, intervenção cirúrgica.

Nos casos em que há dificuldade em engravidar, é muitas vezes aconselhada a cirurgia, de forma a remover as áreas afetadas pela endometriose, permitindo assim a ocorrência de fecundação.

A endometriose aumenta os riscos na gravidez?

Não, apesar da endometriose poder dificultar a concepção ou mesmo causar infertilidade, o fato de ter endometriose não representa um risco para a gravidez.

Inclusive, a gravidez pode reduzir temporariamente os sintomas associados à endometriose, uma vez que o ciclo menstrual é interrompido. No entanto, é muito provável que os sintomas voltem após a normalização do ciclo menstrual.

Em resumo

A endometriose é um crescimento anormal de células do endométrio fora da cavidade uterina, que pode resultar em estados dolorosos ou problemas de fertilidade.

No entanto, apesar de partilhar algumas das suas características, a endometriose não é câncer e raramente resulta em risco de vida para as pacientes.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.