Efeitos secundários e reações adversas à vacinação


Quais são os efeitos secundários das vacinas?

A importância das vacinas para redução das taxas mortalidade e morbidade associadas a várias doenças é um fato cientificamente comprovado.

As vacinas ajudam a proteger a comunidade contra a infecção por diversos agentes patogênicos que de outra forma poderiam não só causar a morte ou doença de centenas ou milhares de pessoas, mas também alterar de uma forma negativa todo o funcionamento da sociedade e economia, com faltas de pessoal nas empresas e paralisação parcial de serviços públicos.

No entanto, apesar de todos os benefícios que trazem, as vacinas acarretam por vezes efeitos secundários e reações adversas, existindo mesmo pessoas às quais não podem ser administradas certas vacinas. Mas o mesmo se passa com a maioria dos medicamentos, e os profissionais médicos estão preparados para responder a essas eventualidades, pelo que deverá seguir as recomendações do seu médico no que respeita à vacinação.

Quais são os principais efeitos secundários e reações adversas?

Existem três tipos principais de efeitos secundários:

  • Reações locais – Incluem dor, inchaço e rubor no local da injeção. São as reações menos graves e podem ocorrer em 50% dos casos.
  • Reações sistêmicas – Incluem febre, mal-estar geral, fadiga, irritabilidade, dor de cabeça, tonturas, náuseas, dor muscular, perda de apetite e alterações do sono. Normalmente são sintomas ligeiros e ocorrem especialmente nos casos de vacinação com vírus atenuados. Esse tipo de reação ocorre normalmente entre uma e três semanas após a inoculação.
  • Reação anafilática – É uma reação alérgica grave que pode, em casos extremos, conduzir a paragem cardiorrespiratória e morte. No entanto, tal como em outras alergias graves, a chance de ocorrência é muito baixa, sendo nesse caso inferior a 1 por cada meio milhão de vacinações.

Quem não deve ser vacinado?

As pessoas, que devido a tratamentos ou doença, tenham seu sistema imunitário comprometido.

As pessoas alérgicas a determinados componentes das vacinas, como é caso da proteína do ovo.

As mulheres grávidas não são normalmente vacinadas com vacinas feitas a partir de vírus atenuados, a não ser que o benefício supere o risco.

Os benefícios da vacinação compensam os riscos?

Sim, os efeitos secundários, quando acontecem, são ligeiros e bem tolerados e as reações graves são extremamente raras.

Os benefícios, por outro lado, são enormes. Vejamos, por exemplo, alguns dados sobre catapora, que é considerada quase inofensiva por alguns pais.

  • 1 em cada 10 crianças que contraem a doença têm complicações que requerem hospitalização.
  • O corpo fica coberto de pequenas lesões (entre 300 a 500) que são extremamente incomodas.
  • Em 2010 morreram 15 crianças com catapora no estado de São Paulo. Essas crianças não estavam vacinadas.

Vacinar o seu bebê contra a catapora irá evitar todos esses problemas e um pequeno inchaço ou febre baixa são um preço baixo a pagar pela proteção contra a doença, não se comparando aos riscos que a criança corre se não for vacinada.

Aqui usamos o exemplo da catapora, mas isto é verdade para as restantes vacinas, pois todas protegem a criança contra complicações graves.

Por isso não se esqueça, vacinar o seu bebê não é uma opção, é uma necessidade absoluta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.