Cólicas no bebê: como aliviá-las


Saiba como aliviar as cólicas do bebê

A palavra “cólica” faz parte dos pesadelos de muitos pais. Um bebê com cólicas chora durante longas horas, é difícil de alimentar e não deixa os pais descansar.

A causa das cólicas continua a iludir a comunidade médica, não havendo uma causa definida para o seu aparecimento. No entanto, a imaturidade dos sistema nervoso e digestivo parece ser um fator que influencia, pelo menos em parte, o aparecimento de cólicas.

Além disso, por vezes não é fácil distinguir a cólica de outras causas do choro do bebê, como fome, excesso de estímulos ou gases.

Veja em seguida a definição médica de cólica e aprenda a identificar os sinais no seu bebê.

O que são cólicas?

A definição de cólica pode ser suficiente para assustar os pais mais corajosos, pois considera-se a existência de cólica, quando um bebê com menos de 5 meses:

  • Chora mais do que 3 horas por dia.
  • Mais de 3 vezes por semana.
  • Há mais de 3 semanas.

As cólicas estão presentes em mais de 20% dos bebês com menos de 5 meses, mas a boa notícia é que não se trata de uma doença e os sintomas tendem a desaparecer espontaneamente ao fim de algum tempo.

Outros sinais de cólica

Além das crises de choro intenso, um bebê com cólica pode apresentar sinais semelhantes aos de um bebê com gases:

  • Contorcer-se enquanto chora (fletindo as pernas e arqueando as costas)
  • Soltar gases

Isso se deve provavelmente ao fato das cólicas aumentarem o acúmulo de gases, uma vez que o bebê tende a engolir mais ar quando chora.

Quanto tempo duram as cólicas?

A duração das cólicas pode variar um pouco de bebê para bebê, mas em geral desaparecem depois dos cinco meses de idade.

A progressão das cólicas é geralmente a seguinte:

  • Entre os 3 e os 4 meses – Melhoria acentuada dos sintomas
  • Aos 4 meses – Cerca de 90% dos bebês ficam livres de cólicas
  • Aos 5 meses – Quase 100% dos bebês ficam livres de cólicas

Em casos raros, as cólicas podem continuar com intensidade variável, até ao bebê completar um ano de idade.

O que causa o aparecimento de cólicas?

Apesar do termo cólica estar normalmente associado a problemas intestinais, a causa específica das cólicas no bebê é incerta, havendo várias teorias concorrentes que procuram explicar o seu aparecimento.

Entre as explicações mais prováveis para as cólicas no bebê encontram-se:

  • Imaturidade do sistema digestivo – A ocorrência de cólicas no bebê tem sido relacionada com défice de lactase no intestino. Esta enzima ajuda na digestão da lactose e o seu défice pode provocar distúrbios intestinais conduzindo ao aparecimento de cólicas.
  • Imaturidade do sistema nervoso – A imaturidade do sistema nervoso pode tornar o bebê hipersensível, facilitando a ocorrência de cólicas.
  • Espasmos musculares – Alguns especialistas apontam para a possibilidade da imaturidade dos músculos abdominais causar espasmos que resultam no aparecimento de cólicas.
  • Complicações do parto – Alguns estudos indicam uma correlação entre partos problemáticos e uma maior duração do choro nos bebês.
  • Choro como estratégia de obtenção de atenção – Alguns especialistas sugerem que certos bebês desenvolvem padrões de choro prolongado como forma de obter atenção da parte dos progenitores.

Como aliviar as cólicas do bebê?

Não existe uma estratégia definida que funcione em todos os casos, pelo que geralmente a solução passa por tentativa e erro. No entanto, as seguintes estratégias poderão ajudar a acalmar o seu bebê:

  • Segure o seu bebê junto ao corpo durante as crises de choro – A proximidade acalma o bebê, podendo fazer com que a intensidade do choro diminua.
  • Dê um banho ao bebê em água morna – A água morna relaxa os músculos e facilita a expulsão de gases acumulados devido ao fato do bebê engolir ar enquanto chora.
  • Faça uma massagem na barriga do bebê – Além de libertar eventuais gases retidos, a massagem ajuda a relaxar o bebê.
  • Evite estimular demasiado o seu bebê – O seu bebê passou nove meses num ambiente com poucos estímulos, pelo que o excesso de estímulos pode desencadear crises de choro. Quando o bebê chora, tente acalmá-lo num quarto silencioso e com pouca luz.
  • Use uma fonte de “ruído branco” Os sons contínuos ou ritmados, como secadores de cabelo ou máquinas de lavar, acalmam os bebês. Existem também aparelhos específicos para acalmar bebês, que produzem este tipo de ruído. Na ausência deste tipo de acessórios, produzir o som “ssshh” enquanto embala o bebê também ajuda a acalmá-lo.

Porém, alguns bebês parecem não conseguir acalmar com nenhuma dessas estratégias, acabando por deixar de chorar apenas quando adormecem.

Não consigo acalmar o bebê, o que faço?

Um bebê com cólicas pode ser muito difícil de acalmar, podendo deixar os pais à beira do desespero. No entanto lembre-se que a culpa não é sua e não deixe que isso afete a sua autoestima.

Durante uma crise de cólicas, lembre-se que:

  • As cólicas do bebê não são culpa sua – Você não está fazendo nada de errado, por vezes um bebê com cólicas é impossível de acalmar.
  • O bebê vai parar de chorar – Por pior que seja a crise de cólicas, o bebê não irá chorar o dia inteiro.
  • As cólicas melhoram com o tempo – Por volta dos 3 meses de idade é bem provável que os sintomas tenham diminuído bastante, ou mesmo que o seu bebê já não tenha cólicas.

Lembre-se também você precisa descansar e ter tempo livre. Por isso, não hesite em pedir ajuda aos seus familiares e não tente fazer tudo sozinha.

Quando consultar o médico?

As cólicas não constituem uma doença, mas deve procurar o conselho do pediatra ou do seu médico no caso de sentir dificuldade em lidar com as crises de cólicas do bebê.

Além de aconselhamento sobre como lidar com as cólicas, o seu médico poderá sugerir alguns tratamentos que poderão ajudar a aliviar alguns dos sintomas associados às cólicas.

Tratamentos possíveis para aliviar sintomas ligados às cólicas:

  • Medicamentos para alívio de gases – Alguns bebês podem beneficiar deste tipo de tratamento, uma vez que ajuda a combater o desconforto e dor provocado pelos gases. No entanto, apenas irá resolver uma parte do problema, pois as cólicas não resultam diretamente do acúmulo de gases.
  • Mudanças na dieta da mãe – Quando os bebês são alimentados com leite materno, pode ocorrer intolerância a alguns alimentos que a mãe ingere (geralmente os derivados de leite). A retirada temporária do alimento causador da intolerância pode fazer diminuir os sintomas, embora dificilmente elimine as cólicas.
  • Administração de lactase – Em alguns casos, as cólicas podem ser causadas por défice de lactase (a enzima que permite digerir a lactose presente no leite). A administração de lactase pode, nestes casos, melhorar os sintomas e reduzir as cólicas.

Outras razões para consultar o seu médico ou pediatra:

  • O bebê apresenta prisão de ventre, diarreia ou sangue nas fezes.
  • O bebê vomita demasiado – O vômito é diferente da regurgitação que ocorre após a mamada.
  • O bebê esteja agitado a maior parte do tempo sem razão aparente.
  • O bebê apresente uma temperatura (retal) igual ou superior a 37,7ºC – A febre pode indicar a presença de uma infecção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.