Massagem perineal


Massagem perineal: guia prático

A massagem perineal é uma técnica que permite tonificar o períneo (a área entre a vagina e o anus) de forma a evitar roturas ou a necessidade de realização de uma episiotomia durante o parto.

O objetivo deste tipo de massagem é aumentar progressivamente a elasticidade dos tecidos, através da estimulação diária do períneo, para que no momento do parto estes possam acomodar mais facilmente a passagem do bebê, com um mínimo de roturas.

A realização diária da massagem perineal é aconselhada a partir da 34.ª semana de gestação, prolongando-se até ao parto.

Prepare o períneo para o parto!

Quando deve ser feita a massagem perineal

A massagem perineal é aconselhada a partir das 34 semanas de gestação, devendo ser feita diariamente, em períodos de 5 a 10 minutos.

Nas primeiras vezes poderá ser útil utilizar um espelho para ver melhor a área onde irá aplicar a massagem.

Como fazer a massagem perineal

Como fazer massagem perineal
Massagem perineal – Guia da Grávida

Depois de lavar as mãos e aplicar um lubrificante, coloque os polegares dentro da vagina conforme a ilustração e pressione para baixo, na direção do ânus (1) e para os lados (2) ao mesmo tempo, voltando em seguida à posição inicial.

Isto irá fazer com que os tecidos da vagina e períneo estiquem, conferindo-lhes maior elasticidade à medida que o exercício for repetido.

Nota importante: esta massagem não deve provocar dor. Se sentir dor durante a massagem perineal, deve consultar o seu médico e relatar o sucedido.

A massagem perineal evita a episiotomia?

Segundo alguns estudos, a massagem perineal pode ajudar algumas mulheres a reduzir a necessidade de realização de uma episiotomia (corte do períneo para facilitar a passagem do bebê).

No entanto, a massagem perineal não é uma solução universal e a episiotomia continua a ser necessária em cerca de 14% dos partos vaginais.

Existem outras formas de fortalecer o períneo?

Além da massagem, você poderá fazer exercícios de fortalecimento do assoalho pélvico, como os exercícios de Kegel.

Esse tipo de exercícios, associados à massagem do períneo irão ajudar a aumentar a elasticidade e a diminuir a chance de rupturas na hora do parto.

Controvérsia acerca da massagem perineal

Um estudo publicado em 2001, por um grupo de especialistas Australianos, concluiu que a massagem perineal não apresentava vantagens significativas quando se tratava de reduzir as chances de ruptura do períneo.

No entanto, o mesmo estudo aponta para um menor número de lesões graves do períneo entre as mulheres que realizaram massagem, embora a diferença encontrada entre os grupos que realizaram massagem e os que não a realizaram seja mínima.

No entanto, outros estudos, como o levado a cabo no Waterford General Hospital em 1997, sugerem que existe uma menor incidência de lesões do períneo (69%) nas mulheres que receberam massagem perineal, contra 75.1% nas mulheres que não beneficiaram desse tipo de massagem.

Recomendação da massagem perineal

Face aos resultados dos diversos estudos, a comunidade médica continua a recomendar a realização de massagem perineal como forma de prevenção de rupturas e melhoria da elasticidade da região perineal.

Além disso, aconselha-se a conjugação da massagem com exercícios do assoalho pélvico, de forma a aumentar ainda mais a elasticidade desta região.

2 comentários em “Massagem perineal

  • 16 de junho de 2017 em 23:04
    Permalink

    Boa noite, o tema do meu tcc é Efeitos da utilização da massagem perineal no Pré-Natal, só que em todos estudo que li, não tem dizendo porq a massagem tem que ser iniciada na 34-35 semanas de gestação, vc pode me ajudar?

    Resposta
    • 17 de junho de 2017 em 01:26
      Permalink

      Olá Leônia

      Os estudos não são claros nesse ponto, mas aparentemente não existirá benefício se a massagem for iniciada antes das 34 semanas, apesar de alguns artigos indicarem as 32 semanas como data possível para o início da massagem perineal.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.