Tudo sobre os ultrassons durante a gravidez


Para que servem os ultrassons realizados durante a gravidez?

O ultrassom, também conhecido como ultrassonografia ou ecografia é um dos exames mais usados para controlar o desenvolvimento do seu bebê durante a gravidez, sendo normalmente realizado a cada trimestre da gestação.

No entanto, o número de ultrassonografias realizadas poderá variar e será o seu médico a determinar o número e frequência destas, dependendo das características da sua gravidez.

Como funciona a ultrassonografia?

Exame de ultrassom
Foto: Bigstock.com

A ultrassonografia é um exame indolor. São usadas ondas sonoras de alta frequência para obter uma imagem do interior do útero. O som é lançado para dentro do útero e refletido de volta pela parede uterina e pelo bebê, esse eco é depois traduzido por um computador que fornece uma imagem de vídeo em tempo real, permitindo ao médico observar o seu bebê e perceber se existe algum problema na gestação.

A ultrassonografia tem riscos para o bebê?

Não, tanto a ultrassonografia abdominal como a ultrassonografia transvaginal, são processos completamente seguros para o bebê, uma vez que não é usada radiação, mas sim ondas sonoras. No caso da ultrassonografia feita por via vaginal, poderá ocorrer um ligeiro sangramento devido à introdução da sonda, mas não existe qualquer risco de aborto.

Quando são realizados os exames?

Normalmente são realizados três exames desse tipo durante toda a gravidez. O primeiro é feito entre a 10.ª e a 13.ª semana, o segundo entre a 19.ª e 22.ª semana (ultrassonografia morfológica) e o último entre a 29.ª e a 32.ª semana.

Adicionalmente, pode ser realizada entre a 5.ª e a 9.ª semana uma ultrassonografia transvaginal, para descartar a possibilidade de gravidez ectópica e molar, servindo também para diagnosticar de forma precoce a gestação de gémeos.

A primeira ultrassonografia – 10.ª a 13.ª semana de gravidez

Este exame tem lugar no final do primeiro trimestre e é geralmente realizado por via vaginal. Permite o diagnóstico de malformações fetais e problemas genéticos relacionados com alterações cromossômicas como a Síndrome de Down, através da medição da translucência nucal e da verificação da presença do osso nasal. Além disso, permite também avaliar o progresso do desenvolvimento fetal e determinar a presença de gestações múltiplas.

No entanto, não se trata de um diagnóstico definitivo no que respeita às alterações cromossômicas, sendo necessária a realização de uma amniocentese ou uma biópsia de vilo corial para confirmar o diagnóstico. No entanto esses exames acarretam risco de aborto, pelo que sua realização deverá ser discutida com o médico.

A ultrassonografia morfológica – 19.º a 22.ª semana de gravidez

Ultrassom morfológico
Foto: Bigstock.com

Realizado durante o segundo trimestre, esse exame tem como objetivo avaliar o desenvolvimento da anatomia do seu bebê e detectar possíveis malformações.

Como nessa altura da gestação o bebê já se encontra bastante desenvolvido é possível observar com maior detalhe os seus órgãos e diagnosticar de forma mais precisa eventuais malformações em órgãos vitais como coração e pulmões, bem como problemas no desenvolvimento dos membros e coluna vertebral.

Esse exame permite também determinar o sexo do bebê com elevado índice de acerto (cerca de 90%) contra os 70% do ultrassom do primeiro trimestre.

Outra informação que pode ser obtida nesse exame é a posição da placenta, permitindo assim diagnosticar um problema relativamente comum chamado placenta prévia, que consiste no bloqueio da abertura do colo útero pela própria placenta. Nesses casos, a posição da placenta será monitorada através de novos ultrassons, para ver se o bloqueio desaparece ou se perdura até ao final da gestação. Nesse último caso, o bebê terá de nascer por cesariana.

A terceira ultrassonografia – 29.º a 32.ª semana de gravidez

É normalmente o último exame desse tipo e serve para avaliar a condição e funcionamento da placenta, bem como para perceber se o bebê já se posicionou para o parto, com a cabeça virada na direção do colo uterino.

Quando a ultrassonografia mostra um problema

É importante manter a calma. Por vezes são detectados durante o ultrassom alguns sinais suspeitos, mas na maioria das vezes a possibilidade de anomalia é descartada nos exames seguintes.

Nos casos em que realmente existe um problema, o resultado do exame irá dar ao seu médico toda a informação necessária para iniciar o tratamento do bebê assim que ele nascer.

No entanto, em alguns casos é possível corrigir as malformações com o bebê ainda no útero, recorrendo a técnicas de cirurgia fetal, que permitem tratar certas malformações cardíacas ou corrigir problemas como a espinha bífida antes de o bebê nascer.

A ultrassonografia é um exame grátis no sistema público?

No Brasil alguns hospitais providenciam ultrassonografias grátis, mas o panorama varia muito de estado para estado ou mesmo de cidade para cidade. Como o programa de assistência pré-natal não contempla a realização de ultrassons, muitas vezes é necessário recorrer a um plano de saúde para obter esse tipo de exame.

Já em Portugal, existe um plano de seguimento pré-natal do Serviço Nacional de Saúde que permite a realização de ultrassonografias grátis nos hospitais públicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.