Parto prematuro: como reconhecer os sintomas


A incerteza em relação ao momento do parto pode ser preocupante para algumas mães, pois a taxa de partos prematuros situa-se em torno dos 12% e quanto mais cedo ocorrer o parto, maiores serão as chances de que o bebê venha a ter problemas de saúde, pois antes das 37 semanas os pulmões ainda não atingiram a maturidade.

A gravidez normalmente tem uma duração de 40 semanas, considerando-se por isso trabalho de parto prematuro ou pré-termo sempre que as contrações regulares surgem antes das 37 semanas de gestação, dilatando o colo uterino e preparando o corpo para o parto.

Trabalho de parto prematuro: como reconhecer os sintomas

Os sinais de trabalho de parto pré-termo são semelhantes aos de um trabalho de parto de termo, mas incluem também alguns sintomas que podem ser difíceis de distinguir dos sintomas normais da gravidez, como é o caso das náuseas e da dor nas costas.

Sinais de alerta:

  • Contrações regulares com uma frequência igual ou inferior a 10 minutos
  • Cãibra abdominal situada no baixo abdômen
  • Dor nas costas que não é aliviada facilmente
  • Náusea ou vômito
  • Diarréia
  • Corrimento vaginal
  • Sangramento vaginal mesmo que ligeiro

No caso de ter um ou mais destes sintomas é aconselhável consultar o seu médico a fim de averiguar se se trata de um início prematuro do trabalho de parto.

Porém, como o sintoma mais evidente do trabalho de parto pré-termo são as contrações regulares, é importante que você saiba como detectá-las.

Como detectar as contrações:

Uma forma simples de detectar as contrações é colocar as pontas dos dedos na região do abdômen, de forma a poder sentir eventuais contrações do útero: se sentir um aperto dos tecidos seguido de um relaxamento terá detectado uma contração.

Caso detecte uma contração, anote o tempo que decorre entre cada contração. Se este for igual ou inferior a 10 minutos é muito provável que esteja em trabalho de parto.

Se as contrações não forem regulares é possível que se tratem de contrações de Braxton-Hicks, que não estão relacionadas com o início do trabalho de parto. No entanto, se os sintomas não desaparecerem ao fim de uma hora é aconselhável contatar o seu médico ou dirigir-se ao hospital.

Tratamento do trabalho parto prematuro

O trabalho de parto pode, no entanto, ser revertido em meio hospitalar com recurso a medicação específica que relaxa o útero ou hidratação intravenosa, de forma a parar as contrações e adiar o parto até que o bebê possa nascer sem risco de prematuridade.

Como nem sempre é possível parar as contrações, pode também ser administrada medicação que estimule o desenvolvimento pulmonar e antibióticos, de modo a que o bebê corra menos riscos se tiver que nascer antes do tempo.

O bebê prematuro

Parto prematuro: bebê prematuro
Bebê prematuro | Foto: Adobe Stock

No caso de ocorrer parto prematuro, o bebê será tratado numa UTI neonatal até que os médicos o considerem livre de riscos. No entanto, a maior parte dos bebês prematuros acabam se desenvolvendo normalmente, apesar do seu crescimento ser um pouco mais lento do que um bebê de termo e serem mais suscetíveis ao desenvolvimento de doenças crônicas.

Nos casos de bebês nascidos antes das 31 semanas (prematuridade extrema), o tempo de permanência na UTI é geralmente mais longo e poderão ser necessários cuidados extra, como ventilação (respiração assistida) ou alimentação intravenosa.

Parto prematuro: fatores de risco

Algumas mulheres correm maior risco de entrar em trabalho de parto antes das 37 semanas. Por isso, você deve estar particularmente atenta se:

  • For fumadora
  • Tiver sobrepeso ou peso abaixo da média
  • Sofrer de Colestase Gestacional
  • Sofrer de pressão arterial elevada ou pré-eclampsia
  • Sofrer de  diabetes antes da gravidez ou diabetes gestacional
  • Tiver uma infecção
  • A gravidez for resultado de técnicas de reprodução assistida
  • Gravidez múltipla
  • Tiver usado drogas ou álcool durante a gravidez
  • Tiver história de parto prematuro em gestações anteriores
  • Tiver uma história familiar de parto prematuro

Em resumo

O trabalho de parto prematuro ocorre em cerca de 12% das gestações e se você pertence a um dos grupos de maior risco deve estar atenta aos sinais de alerta, principalmente às contrações regulares. No entanto, atualmente existem meios hospitalares adequados para lidar com esse tipo de situações e um bebê prematuro têm hoje boas chances de crescer sem problemas, atingindo a seu tempo os mesmos níveis de desenvolvimento de um bebê de termo.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterPin on PinterestShare on Reddit

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *